Corrida pela montanha gera um milhão de euros

camptrail696

Na madrugada deste sábado, cerca de 300 atletas de mais de 40 nacionalidades vão sair das pontes de rio Caldo, em Terras de Bouro, e passar pelos municípios de Montalegre, Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, para cumprir a prova de 85 km do Campeonato do Mundo de Trail Running, que este ano se realiza pelos trilhos do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Outros mil participantes são esperados para mais três provas livres a decorrer no mesmo dia (estafetas, 55 e 16 km), estimando a organização, a cargo do ultramaratonista Carlos Sá, um impacto económico na região de, pelo menos, um milhão de euros.

Além de alugueres de carros, restauração e outros gastos, o alojamento é o setor que sairá mais beneficiado com a prova. Em Braga, onde está montada uma tenda gigante de divulgação da modalidade junto ao Theatro Circo e onde estão alojadas as seleções e respetivas comitivas, há hotéis lotados, como é o caso do grupo do Bom Jesus. O Meliá, por exemplo, também prevê encher os 182 quartos. “Algo que não é normal nesta época mais baixa do ano”, admitiu fonte da unidade hoteleira ao JN.

Em Terras de Bouro ainda há quartos livres, mas em Ponte da Barca, de onde partirão os 400 atletas da prova livre de 55 km (começa na freguesia de Entre Ambos-os-Rios), também se estimam taxas de ocupação entre os 75% e os 80%. “Depois temos o impacto indireto, que é impossível calcular. Há atletas que já vieram fazer reconhecimentos durante os últimos meses, outros ficam mais uma semana depois do evento”, afirma Carlos Sá, sublinhando que a prova é “uma grande oportunidade de afirmar a internacionalização do trail e de promover o Gerês e até Braga, como porta de entrada para o parque nacional”.

Oportunidade de divulgação

“Tenho 80 mil seguidores no Facebook, mas quando estou numa prova de nível mundial tenho cerca de 900 mil pessoas a seguir a minha página. Agora, vamos ter os 300 melhores do mundo. É uma oportunidade de divulgação, com um impacto que não podemos desperdiçar”, defende o ultramaratonista minhoto.

Ao todo, a organização – que conta com o apoio da Associação Internacional de Trail Running, da Associação Internacional de Ultramaratonistas e Federação Portuguesa de Atletismo – estima que 200 mil pessoas passem pelo evento.

Mundialito para os mais pequenos

Paralelamente à prova mundial, outras atividades começaram já a decorrer na “Sports Village”, a tenda gigante que proporciona o contacto com a modalidade e apresenta animação para o público. Em simultâneo, o Mundialito, que decorre no mesmo local, permite a crianças dos cinco municípios envolvidos no campeonato experienciar o trail running. “É preciso envolver as crianças para garantir o futuro da modalidade”, defende Carlos Sá, estimando que haja cerca de 15 mil corredores de montanha no país.

Sandra Freitas e Idalina Casal

0 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar