Ludivine, 7ª na meia maratona

ludivine2696

Era para ser um passeio para o alívio matinal em Elkmont, pequeno burgo do Alabama cujas quatro centenas de almas conhecem todas Ludivine. April Hamlin abriu-lhe a porta na manhã fria e deixou-a ir à vidinha, como sempre, habituada que está a deixá-la passear á vontade pelas calmas ruas da vila. A hound de dois anos e meio só voltaria horas depois. Nas suas preguiçosas deambulações, Ludivine acabou na linha de partida da meia maratona Trackless Train Trek, a umas centenas de metros de casa. Curiosa, misturou-se, arrancou com o pelotão, correu 21,1 km e cortou a meta em sétimo lugar, com um tempo (incrível!) de 1:32.56 e recebeu, como todos, a medalha de finisher…

April, que não corre, só deu conta da façanha da cadela quando uma amiga voluntária na corrida lhe enviou fotos por telemóvel. Não acreditou. Ludivine é a preguiçosa da casa, jamais correria uma meia maratona. E corou de vergonha. Mas Ludivine correu mesmo e no encalço dos da frente (o vencedor fez 1:23.15) e ainda foi cheirar as plantas e as árvores e um coelho morto e marcar território. E caminhou, como todos, mal passou a meta, para receber a medalha e posar para a foto, antes de ir para casa dormir como um lorde. Como todos, ora…

(história contada na Runner’s World)

5 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar

  • José Correia

    3.2.2016

    Não vou sequer comentar a notícia, dizendo apenas que é pena não existirem pessoas tão “humanas” quanto alguns animais…
    Vou comentar os comentadores anteriores! É um prazer verificar que existem pessoas normais a ler e comentar as notícias do JN, pois é dificil encontrar uma zona de comentários em que não apareça uma maioria a deitar abaixo tudo e todos, só porque sim…
    Obrigado!

  • Nuno Filipe Gomes

    31.1.2016

    De nada. :) Era apenas um detalhe que não aborrecia a mim nem a ninguém, mas ainda assim uma imprecisão que não valia a pena manter!! Quanto à história, Top! daquelas que nos deixam um sorriso o dia inteiro… ;)

  • Nuno Filipe Gomes

    27.1.2016

    Notícia deliciosa para quem ama cães como eu amo, no entanto, como dono de um basset hound tenho de “denunciar” uma imprecisão: a protagonista da história não se trata de uma basset hound!!
    A tradução foi mal feita, pois no texto original nunca refere um basset hound, mas sim um hound. E estes são um vasto grupo que abrange várias raças hound, entre as quais os basset. Neste caso parece-me um Bloodhound.

    • ivete

      28.1.2016

      Obrigada pela precisão. Correção efetuada :)

  • Ana Jorge Antunes

    27.1.2016

    Linda, surpresa, charmosa com a sua cheada a meta!!! Sao sem duvida surpreendes e participativos em fazer se notar por uma razao….companheiros, amigos,sociaveis e sem preconceitos nem manias…autenticos mais nao podem ser e seres adoraveis!!!amei!!!