Vamos ao gerês correr pelo José?

budeguitas

No dia 20 de setembro, Sandra Oliveira, de camisola azul com pegada laranja dos Budeguita Runners, esperava tranquilamente a partida da Meia Maratona do Porto quando foi abordada por um corredor, intrigado com o dorsal colante que ela e a numerosa equipa ostentavam: “Beatriz. Eu corro por ti”. Beatriz é uma menina com duas doenças raras que exigem aos pais 400 euros mensais em tratamento. Sandra disse-lhe para espreitar o Facebook da iniciativa, que só pediam um euro por pessoa para ajudar. “A minha neta também se chama Beatriz”, disse-lhe ele. E estendeu-lhe as escassas moedas que um atleta leva no bolso do equipamento.

A voz de Sandra parece tremer quando nos conta o episódio. A iniciativa “Eu corro por ti” nascera da perceção de que as camisolas azuis e laranjas começavam a ser reconhecidas e que isso poderia ser usado em prol de quem precisava. A Beatriz foi sugerida pela associação Raríssimas. os Budeguita tentaram angariar seis meses de tratamento batendo à porta de familiares e amigos e empresas e foram dando conta disso nas redes sociais. Conseguiram dois mil euros. Cinco meses melhores para a Beatriz.

Passados três meses, alguém lançava o nome de José Santos. Atleta com paralisia cerebral, remador no desporto adaptado que treina no Sport Club do Porto, licendiado, “uma mente livre aprisionada num corpo que não responde”. Sonha com um barco (skiff) adaptado, já experimentou e sabe que seria melhor. Mas custa 4200 euros que José não tem. “Com o barco normal é como nós com sapatilhas que não são o nosso número”, compara Sandra.

“Na semana passada organizámos um treino livre. Ele apareceu. Havia um percurso de seis quilómetros e outros de dez. Ele fez cinco quilómetros numa espécie de andarilho…”, conta Sandra, emocionada. Como conta os 800 euros que, nesse dia, alguém lhe estendeu. Assim, em nome da liberdade de que José é símbolo. Os Budeguita apaixonaram-se pela energia de José e resolveram usar a visibilidade que acreditam conseguir. “Vamos 35 à maratona do Gerês, temos que fazer alguma coisa. Os nossos quilómetros, as nossas maratonas e as nossas ultras não são nada comparados” com o caminho de José. Faltam-lhe mil euros para o skiff, só precisa de ser um pouco mais conhecido. Amanhã, os Budeguitas divulgarão a luta de José envergando um dorsal com uma imagem dele remando, enquanto percorrerem as belíssimas estradas outonais da II Maratona do Gerês gritando “Eu corro por ti” até à meta. Onde José prometeu estar. O JN Running também vai correr por ti, José :)

Ivete Carneiro

3 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar

  • Isaura Almeida

    2.12.2015

    Simplesmente lindo…Bem hajam

  • Fernando Monteiro Dos Santos

    28.11.2015

    Vamos lá. Porque nem só de pão vive o Homem!

  • Fátima Oliveira

    27.11.2015

    Força Budeguita!!!