O calçado mais caro não é o mais satisfatório, diz quem corre

4part1696

(Fonte RunRepeat)

Estará o preço do calçado de corrida na direta proporção da sua qualidade? Ou, pelo menos, da perceção que quem o usa tem dele? Um estudo da RunRepeat.com (o maior site dedicado a calçado de corrida, juntando avaliações feitas por corredores) garante que não. De todo. E conclui-o com base em 134,867 avaliações sobre 391 modelos de sapatilhas de 24 marcas. “As sapatilhas caras não são melhores do que as mais em conta. Na verdade, as sapatilhas baratas têm melhores classificações do que as caras”.

“Tenho noção de que os preços mais elevados geram expectativas mais elevadas”, pelo que mais facilmente desapontarão os utilizadores. “Mas, de qualquer modo, o preço deveria refletir-se na qualidade do produto e, por conseguinte, nas avaliações”, diz Jen Jakob Andersen, fundador do site dinamarquês, que recusa publicidade para não afetar a isenção das suas análises.

Isoladamente, apenas 18,9% dos 391 modelos analisados têm uma avaliação superior à média de satisfação conseguida pelas sapatilhas menos onerosas (86 numa escala de zero a cem). Ou seja, conclui a RunRepeat.com, a sapatilha de gama média é pior classificada do que as baratas. Quanto aos dez modelos mais caros, supostamente sapatilhas premium, não satisfazem da mesma forma que as mais baratas. Com um preço médio três vezes superior (158 euros), deixam os corredores 8,1% menos satisfeitos do que as dez mais baratas (a um preço médio de 55 euros e com uma classificação média de 86%). E 6% menos se comparadas com a média dos 391 modelos.

Sem olhar a modelos, mas apenas a marcas, a constatação confirma-se: quanto mais alto o preço, menores as avaliações. A RunRepeat.com conclui que um aumento de 50 dólares (cerca de 43 euros) na lista de preços corresponde a uma média de avaliação 1.4 pontos mais baixa. “Esperávamos que as marcas especializadas em calçado de corrida suplantassem largamente as marcas desportivas generalistas, mas a diferença é muito pequena. As marcas especializadas têm uma performance apenas 2,8% melhor do que as generalistas”. A Skechers, a Saucony e a VibramFiveFingers são internacionalmente as marcas mais bem cotadas entre os utilizadores, enquanto no final da tabela surgem a New Balance, a Adidas e a Reebok (que é uma marca do grupo Adidas…). As mais baratas são a Skechers, a Vivobarefoot e a Puma, as mais caras a On, a Newton e a Hoka One One.

“As marcas são incentivadas a promover calçado topo de gama, mas o nosso estudo sublinha muito claramente que os corredores que compram mais caro estão menos satisfeitos do que aqueles que vão à gama média ou ao calçado mais barato”, conclui Jen Jakob Andersen.

Ivete Carneiro

0 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar