André Fraga ganhou ao Metro do Porto

André Fraga confessa que viu a ideia numa publicação do JN Running, há cerca de um ano: um britânico decidiu provar ao mundo que podia correr tanto quanto o Metro. E conseguiu a proeza, a que chamou “Race the Tube”. “Investiguei”. O vídeo londrino foi visto mais de cinco milhões de vezes em todo o mundo, associado à hashtag #racethetube e replicado em vários países. Menos Portugal. Estava lançado o desafio.

André é do Porto, mais concretamente de Paranhos, onde o Metro circula longas distâncias à superfície e onde o jovem de 31 anos costuma treinar com a “Locomotiva de Paranhos”. Estudou os percursos do metropolitano portuense, assumindo à partida que a corrida dele seria sempre menor do que a londrina, dado que as composições são mais lentas. Depois, estudou o trânsito, as áreas onde melhor poderia evitar acidentes, os tempos de trajeto entre estações e os percursos. Descartou a baixa devido ao declive e às escadarias e selecionou o trecho IPO-Polo Universitário. Segundo contas feitas a partir do site da Metro do Porto, teria que encaixar a corrida de 850 metros 2:27.

“Andei a testar e muitas vezes não consegui”, diz André, garantindo que “não é assim tão fácil”. O afluxo de passageiros e o trânsito eram os maiores engulhos, pelo que a Locomotiva optou por esperar por agosto para juntar mais um vídeo à hashtag. E, na manhã de 29 de agosto, entrou no Metro no Hospital de S. João com Bárbara Amaral, que tinha uma das câmaras, fez a viagem até ao IPO, filmada também pela GoPro que usou ao peito e saiu, num estonteante contrarrelógio.

A acompanhar André, Hugo Durães conduziu uma mota em que levava Sérgio Santos a filmar, enquanto Tiago Santos esperava no cruzamento antes do Polo Universitário para impedir que um automóvel pusesse em causa o desafio. “Estava preparado para fingir atravessar se fosse caso disso”. A dada altura, ouve-se Hugo dizer: “Vem aí o Metro”, André olha para o lado e encara o maquinista. “Vejo-o a olhar para mim, com cara de quem pergunta ‘o que é que este está aqui a fazer?!’ e pensei ‘Já fui…’”.
Estava calor, o ritmo inicial tinha abrandado e faltava descer uma escadaria que correspondia a um desnível da linha em que o Metro acelera. “Depois de eu entrar as portas voltaram a abrir”, claramente a indicar que André passara o sensor no limite. Foram 850 metros em 2:29, a um ritmo de 2:55 por quilómetro. De cortar a respiração. Está tudo no Youtube, montado por João Duarte.

Ivete carneiro

6 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar

  • Joao Pinto Reis

    13.10.2015

    No titulo diz que ganhou ao metro do porto:
    “Segundo contas feitas a partir do site da Metro do Porto, teria que encaixar a corrida de 850 metros 2:27″… “André passara o sensor no limite. Foram 850 metros em 2:29”. Pelas contas, perdeu em 2 segundos. No entanto, muitos parabéns. Foi uma excelente corrida! Há que tentar novamente!

  • Bárbara Amaral

    12.10.2015

    Sr Mário Sousa, proponho que passe por lá e verifique a que velocidade é que vai o metro. Tenho a certeza que iria gostar e apreciar faze-lo! Vai poder ver como é fácil, deve conhecer várias pessoas que corram 850m em 2min e 29seg! Enfim é tão fácil questionar…consegue correr 850m em 2min e 30 seg?
    Parabéns André e Parabéns Locomotiva de Paranhos se fosse fácil não eram os primeiros

  • Mario Sousa

    11.10.2015

    Ganhou? devem ter visto outro vídeo só pode dá para ver que o metro não vai a velocidade normal ou seja vai muito devagar para alem disso quando o andré chega a beira do metro ele já esta lá algum tempo pk esta a deixar as pessoas sair ate dá gosto tanta tanga………………..

  • Maria Ribeiro

    11.10.2015

    Parabéns André! Tenho muito orgulho em ti!

  • Ricardo Múrias

    10.10.2015

    Uauh … muitos parabéns André, e a Locomotiva de Paranhos!

  • Sérgio Santos

    9.10.2015

    Parabéns André!
    Parabéns Locomotiva de Paranhos!
    Já são uma referência nas provas nacionais, que seja uma motivação para todos os amantes da corrida.