0
Prontos para seis provas na Lousã?

axtrail696

Seis provas, três dias, uma soma de 200 quilómetros em competição e inscrições esgotadas. A Serra da Lousã prepara-se para mais um Ultra Trail das Aldeias de Xisto (UTAX), este ano a entregar o centro nevrálgico dos acontecimentos ao concelho de Miranda do Corvo e a renovar a aposta na inclusão, com um Trail de joellettes.

“Garantimos assim a rotatividade entre os vários municípios da Serra da Lousã”, explicou Fernando Pinto, elemento da organização, na apresentação da prova que coincidiu com a inauguração do Centro de Estágio de Trail Running de Miranda do Corvo. Desde que o UTAX assumiu o atual formato – juntar num fim de semana várias distâncias, em vez de uma série de provas separadas AX Trail series??. – esta que é uma das principais corridas de montanha do calendário nacional arrancou dois anos da Lousã e outros dois de Castanheira de Pêra. Falta depois Penela e Góis.

E o que o UTAX tem para oferecer de 16 a 18 de outubro, além da prova rainha de 112k e 6000 metros de desnível positivo (D+), é o Trail da Serra da Lousã com 50km e 3000 m D+, o Trail do xisto com 26 km e 1100 m D+ e o mini Trail com 12 km e 600 m D+. Com uma novidade: a edição deste ano integra o circuito nacional da Associação de Trail Running de Portugal (ATRP).

“O AXTrail é uma prova para todos, mesmo para aqueles que não podem correr”, escrevia o JN Running no ano passado. Promete voltar a escrevê-lo este ano. “É uma prova para atletas experientes, para iniciados, para jovens e crianças e para pessoas que não podem correr. No AXTrail da Inclusão, uma corrida de Joellettes permite a pessoas com mobilidade reduzida a possibilidade de participar e usufruir daquilo que é o trilho de trail running com a ajuda de pelo menos duas pessoas. Para reforçar este compromisso social, trazemos a Abutres Trail Running School para promover o AXTrail Kids”.

Soma-se, no final, um “compromisso ecológico”. Mais do que eliminar os copos, coisa que o UTAX faz há anos, “porque isso não é um compromisso, é uma premissa que deveria ser obrigatória”, a organização quer “conseguir não que o impacto seja zero, mas sim acrescentar alguma coisa”. Como oferecer árvores, ou pugnar pela generalização das fitas personalizadas como forma de “responsabilizar as organizações”.

O sucesso da prova está patente na rapidez com que esgota. Em menos de uma semana, a distância maior fechou inscrições. “Evolução daquele que foi um evento pioneiro em 2008, o AXTrail, o UTAX é hoje um evento de referencia no calendário de trail running de Portugal e está ligado à génese e ao desenvolvimento deste desporto”, regozija-se Fernando Pinto.

I.C.

0 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar