0
Trail d’Arga dá salto de gigante

arga luis valadares696

Foto Luís Valadares, in Exposição fotográfica itinerante “Viver o Trail GTSA”

Para o ultramaratonista Carlos Sá, há um antes e um depois do Grande Trail da Serra d’Arga (GTSA). O nascimento da prova nas serranias dos concelhos de Caminha, Ponte de Lima e Viana do Castelo, há cinco anos, deu uma reviravolta no mundo do trail e levou vida à serra, garante.

A edição deste ano, a 26 e 27 de setembro, ditará uma nova viragem: pessoas com mobilidade reduzida também poderão participar, com a realização, pela primeira vez em Arga, de um trail adaptado. Além disso, a somar às provas que já conhecímaos, promete-se uma corrida ao por-do-sol, aberta a todo tipo de atletas. Outra garantia: será batido novo recorde em termos de participações. Carlos Sá não tem dúvidas que a Serra d’Arga receberá no último fim-de-semana de setembro cerca de 3000 pessoas de distintas nacionalidades. “É um salto de gigante”.

Espanhóis, franceses e, este ano, atletas da seleção nacional de Cabo Verde, entre eles Danilson Pereira, vencedor da distância de maratona na Transvulcânia 2015 e do Artenara Trail das Canárias. “Temos 30% de atletas internacionais. Queríamos que fosse 50/50 e é por aí que temos de trabalhar”, afirmou o atleta, aquando da apresentação da prova, há umas semanas.

De entre os nacionais que vão disputar lugares nos pódios das várias provas, encontram-se, em masculinos, André Rodrigues (vencedor do GTSA em 2013 e 2014), Hélder Ferreira (2º classificado e campeão nacional em 2014 e já melhor português no campeonato do mundo de 2015), Rui Seixo (3º classificado em 2014), Ricardo Silva e Jérôme Rodrigues (equipa vencedora do Gerês Trail Adventure 2015) e Amândio Antunes (vencedor a solo do Peneda-Gerês Trail Adventure).

No feminino, destaca-se a presença de Ester Alves (vencedora GTSA 2014, campeã nacional 2015, 8ª UTMB2014 e 6ª Trangrancanária 2015), Lucinda Sousa (2ª classificada e campeã nacional em 2014 e melhor portuguesa no campeonato do mundo em 2015), Cristina Ponte e Sofia Roquete (respetivamente 3ª e 4ª classificadas em 2014).

Do programa constam seis provas competitivas, uma caminhada e um Trail Jovem na Senhora do Minho, o ponto mais alto de toda a região do Alto Minho e que une os três concelhos envolvidos na organização do GTSA: Viana do Castelo, Ponte de Lima e Caminha. Esta última terá lugar no Sábado, 26 de setembro, assim como o GTSA-Vertical, com cerca de 4,5 km e 800 metros de desnível positivo (D+), com concentração no Parque de Campismo de Pentieiros, partida na freguesia de Estorãos (Ponte de Lima) e chegada à Senhora do Minho. Nesse mesmo dia, ao entardecer, será disputado em Caminha o GTSA Sunset, com cerca de 17 km e 600 metros de D+, e uma caminhada de 10 km e 300 metros de D+.

Domingo, dia 27, as freguesias de Montaria e Dem serão os locais de partida e meta de todas as disputas. A prova rainha, o Ultra Trail, que pelo terceiro ano consecutivo integra o circuito nacional de trail ultra da Associação de Trail Running de Portugal (ATRP), com 53 km e 3000 metros de D+, e dois trails longos, um de 33 km e 1900 metros de D+ e outro de 23 km e 1000 metros de D+. E ainda um trail curto com cerca de 13 km e 600 metros de D+.

“Espero que seja a melhor de todas as edições. Este projeto começou de uma pequena brincadeira. Quase me orgulho de dizer que há o trail antes da Serra d’Arga e o trail depois da Serra d’Arga. Até então faziam-se umas provas, distribuiam-se uns flyers. Depois disso conseguiu-se levar à serra uma grande massa de atletas”, conta Carlos Sá, “pai” do GTSA, recordando a surpresa que foi na primeira edição esperar 200 atletas e aparecerem 750. “Até então, os corredores de montanha conheciam-se praticamente todos uns aos outros. Foi naquela prova em que os que já corriam e os que nunca fizeram nada quiseram experimentar ficaram amarrados ao trail, porque a Serra d’Arga tem um potencial fora de série. Foi uma viragem no trail que acompanhou o crescimento a nível europeu e mundial”.

Carlos Sá evidencia o peso da estrutura que organiza a prova. “Só é possível com toda esta mobilização de Câmaras, Juntas de freguesia, associações e muitos voluntários. Nas últimas edições temos contabilizados cerca de 200 voluntários. Isto é uma prova dentro de outra prova. Estamos a criar uma família Grande Trail da Serra d’Arga”.

Ana Peixoto Fernandes

(Foto de capa: Laureano Freixo in Exposição fotográfica itinerante “Viver o Trail GTSA”)

0 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar