1
Vamos correr 281 km pela Raríssimas com Rui Pinho

  
Haverá limite para a solidariedade? E para correr? E para lutar?
Há vidas que são desafios à arte contorcionista da luta contra a adversidade. Há provas que são adversidades leves, quando comparadas com a luta constante e muitas vezes inglória de proporcionar algum conforto a quem vive numa luta constante. Não imagino o sofrimento de quem quer dar a um filho a possibilidade de viver em conforto e não consegue. Felizmente há muita gente que ajuda estas famílias a enfrentar o Mundo e o desafio de tentar fazer normal uma vida rodeada de adversidades raras. É nossa obrigação ajudar. A indiferença não é opção.

Há algumas semanas, recebi um apelo de um pai de uma criança que sofre de uma patologia rara, para que, nalguma das provas ou ações promocionais ligadas à corrida em que participo, divulgasse a Raríssimas e as dificuldades por que passam repetidamente para apoiar quem os procura. A Raríssimas é uma Associação que apoia pessoas com doenças raras e seus familiares. O Centro da Maia, que fazia o apelo, tem necessidade de vários bens alimentares não perecíveis e produtos de higiene. Em paralelo decorrem outras ações que darão à associação a possibilidade de apoiar melhor todos os que a procuram, porque uma casa destas nuna fecha a porta.
A PT281+ nasceu do sonho da Horizontes, empresa que organiza várias provas de corrida e ciclismo em trilhos, de criar em Portugal uma prova semelhante às de maior distância e exigência que existem no Mundo, como são a BR135 ou a Badwater. Arranca em Belmonte e percorre trilhos do interior raiano, muitos na Grande Rota das aldeias históricas, passando pela aldeia “mais portuguesa de Portugal” – Monsanto -, e com término em Proença-a-Nova. Tem mais de 6500 metros de subida acumulada, e 281 km de extensão, para percorrer num máximo de 66 horas. Começa às 23h59 da próxima Quinta-Feira e decorrerá até Domingo às 18h. Os atletas terão um localizador GPS, possibilitando o acompanhamento numa ligação que será disponibilizada pela organização na página do Facebook da PT281+. Serão cerca de 20 os pioneiros deste novo desafio do calendário nacional
 
Desafiado pela Horizontes a fazer a prova, desafiei a Prozis, especialista em suplementação desportiva, a apoiar-me, canalizando o apoio angariado para a Raríssimas da Maia. A Prozis vai colocar à venda as camisolas alusivas ao evento que recriou as 100 milhas do Ultra Trail do Mont Blanc no Parque da Cidade do Porto, e toda a receita da venda reverterá a favor da Raríssimas. Quem comprar uma das 100 camisolas (serão colocadas à venda no site, no início de Setembro) ficará automaticamente habilitado a ganhar o relógio Suunto que registou as 100 Milhas do passado dia 8.

Assim, de desafio em desafio, construimos uma cadeia de apoio a uma causa, que esperamos não termine aqui. As causas solidárias não se esgotam em eventos episódicos, são permanentes. Apesar da massificação dos alertas aos apoios, da multiplicação de causas solidárias que tiram a excepcionalidade que nos desperta, não podemos passar a ignorar os que precisam de nós. Nada melhor que um desafio raro para alertar a sociedade para as necessidades dos que, tendo patologias raras, que normalmente ficam de fora dos desenvolvimentos científicos, não têm tantas vezes a atenção que as causas maiores despertam.

Visto que não há causas menores, todas merecem a maior atenção, uma grande e rara corrida, num desafio ao limite, uma semana antes de tantos se desafiarem nos Alpes, foi a forma encontrada para, numa união de esforços, vos pedirmos a todos que se desafiem a encontrar aqueles que podemos fazer sorrir com muito pouco.

Às vezes, num pequeno gesto está uma enorme contribuição. Vou lembrar-me disto em cada passo e virei aqui contar este enorme desafio de correr mais de 280 km em menos de 3 dias.

Ajudem-nos a ajudar.

www.rarissimas.pt

www.prozis.com

https://www.facebook.com/pt281

1 comentário

Leave a Reply

Faça login para comentar

  • Carlos Manuel Ribeiro Gonçalves

    19.8.2015

    Muita força. O motivo é meritório!