O Porto ganhou asas contra os elementos

Ventos impróprios para consumo, chuva em baldes despejados, algum frio, nada disto impediu o Porto de homenagear a luta pela investigação de uma cura para as lesões da espinal-medula. Fomos quase 1800 a correr por quem não podem, entre nós até correram como puderam alguns dos que não podem, completando a Corrida Mundial Wings For Life. Doroteia Peixoto e Daniel Pinheiro foram os vencedores nacionais, com 41,49km e 67,39km, respetivamente. Daniel foi o 16º no ranking global. Mundialmente, a japonesa Watanabe foi a mais rápida das 35 corridas, com 56,3 km percorridos até ser apanhada pelo carro-meta. O grande vencedor repetiu-se: Lemawork Ketama acrescentou quase 1,5km ao recorde de 2014, com 79,9km.

0 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar