Move Bonus: e se cada caloria valesse um desconto?

movebonus4.696

“Há muitas pessoas que é difícil motivar, pessoas que, à mínima desculpa, deixam de correr. Pensei: o que querem as pessoas? Querem prémios, querem descontos, querem ofertas”. Bastou a Bruno Claro olhar à volta quando ia à estação de serviço, ou enquanto esperava numa qualquer caixa de supermercado. As pessoas aderem – e até compram mais – ao sistema de cartões de acumulação de pontos/descontos. Daí saltou para a outra parte do mundo dele – a corrida. E se os pontos fossem os quilómetros que cada um corre?

Nascia ali a ideia da Run Bonus, que foi andando à medida das ofertas fruto dos acordos que Bruno conseguia. “As corridas tornaram-se um negócio, não necessariamente para ganhar dinheiro, mas para divulgação das marcas. É um excelente suporte para  elas, que assim se associam a um espírito de vida diferente”, explica o informático que, admite, gostaria de poder viver do mundo da corrida. Daí a passar para uma iniciativa mais alargada – Bruno juntou-se a Carlos Ramos e José Maria Borges Almeida – e que não premiasse apenas em função dos stocks foi um passo. Arranca este mês o Move Bonus, que junta aos quilómetros das corridas as calorias perdidas nos ginásios, na natação ou no ciclismo e os passos dados a caminhar e muda o conceito: em vez de trocar pontos por produtos, troca-se por descontos nas mais variadas coisas, desde lojas de desporto a hotéis, passando por clínicas, acessórios, etc.

A ideia é muito simples. Quem regista as corridas nas plataformas habituais (e a Move Bonus tem parcerias com quase todas as aplicações de smartphone e marcas de relógio gps) poderá passar os dados para a Move Bonus, aí acumulando pontos. O site vai ser lançado no dia 18 em Portugal e em Espanha, em português, espanhol e inglês e contará com divulgação em feiras de corredores, à margem de grandes provas e tem já em campo os pré-registos, com oferta de 50 pontos. Quem estava no Run Bonus (e eram já 3500 -Bruno recorda o caso de um rapaz que correu 2000 km para ganhar um relógio Tom Tom) continua a acumular pontos e será transferido para a nova plataforma. E haverá ainda um cariz social: os pontos acumulados poderão ser doados a uma instituição, à qual um dado patrocinador fará um donativo – que poderá ser em géneros alimentícios ou, por exemplo, em eletricidade. Bruno acredita que o Move Bonus se tornará sustentável “no final do ano”, dada a experiência acumulada com o Run Bonus.

O Run Bonus foi testado na plataforma Correr Lisboa, criada há uns anos por Bruno. Com cerca de 13 mil seguidores, o Correr Lisboa começou por ser uma rede social para que corredores da capital pudessem encontrar “amigos” para correr. “Não funcionou, acabámos por ser nós a marcar os treinos”. Hoje, tem treinos semanais que juntam com 100 a 200 pessoas, treinos quase diários com treinadores profissionais em pista de atletismo, um treino às quintas só para mulheres, todos gratuitos, pagando-se apenas à Câmara Municipal o acesso às pistas.

Ivete Carneiro

0 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar