0
Um fim de semana de resultados

montepio.696

No fim de semana em que se bateu o recorde do mundo da subida do KM Vertical, um português concluiu uma das mais duras provas de montanha. Por cá, correu-se de várias formas e feitios.

Sintra recebeu este sábado o seu primeiro Urban Trail, uma corrida por trilhos urbanos, com desnível e percurso histórico e florestal de 10km, cujo pódio coube a Hélio Fumo, com 00:40:15, que assim completa o trio dos urban trails, depois de Lisboa e do Porto. Inês Marques foi a vencedora feminina, com 00:50:51. Fora segunda classificada em Lisboa e no Porto, atrás de Ester Alves, que em Sintra levou o segundo lugar.

Ainda sábado, o Parque Natural da Arrábida foi palco do II Dura Trail, com corridas de 35 km (2800 metros de desnível acumulado) e 22 km (1800 metros de acumulado). Cristina Ponte (3:26:14) e Paulo Lopes (3:07:25) venceram a prova mais longa, e Daniel Dias (1:57:30) e Amélia Costa (2:27:18) foram os melhores nos 20 km.

Na estrada

No dia de domingo, merece particular destaque a 2ª Corrida Montepio, em Lisboa, que voltou a ter como grande vencedor a solidariedade, sob o lema “Corremos uns pelos outros”: conseguiu angariar 55 000 euros para o projeto “Prioridade às crianças, da Cáritas Portuguesa”. Contou com mais de dez mil participantes e com a presença de estrelas do atletismo, como Rosa Mota e Jéssica Augusta, que seria a vencedora feminina (seguida de Ercília Machado e Vera Nunes). Os homens mais rápidos foram Hermano Ferreira, Samuel Barata e José Gaspar.
O presidente da Cáritas, Eugénio da Fonseca, realçou a importância do evento patrocinado pelo Montepio como marcando a diferença. “É verdade que há muitas corridas, mas poucas são as que reúnem um número tão elevado de participantes com um objetivo comum tão nobre: ajudar os que mais precisam”.

Ainda na estrada, na Maia, a corrida que assinalou o 40ª aniversário do Mocidade Sangemil contou com cerca de 500 participantes e foi considerada um sucesso para uma primeira edição, com percurso urbano de 10km  através das localidades de Pedrouços e Sangemil. Os vencedores foram Carlos Rodrigues (00:33:00) e Ana Freitas (00:41:40).

Também a Norte, a 2ª Corrida de Espinho, de 10km, contou com quase 300 participantes e foi ganha por Luis margarido (00:32:26) e Anais da Silva (00:40:27). Em Barcelos, Rui Pinto foi o grande vencedor do 34º Grande Prémio de Atletismo da Silva (10km), com uma marca de 00:29:52, enquanto Leonor Carneiro cortou a meta com 34 minutos certos, numa prova participada por mais de 400 pessoas.

A Sul, a Corrida dos Paraquedistas, em Tancos, contou com 157 participantes a cortar a meta, os primeiros deles tendo sido Filipe Rosa, aos 00:33:29, e Alexandra Oliveira, aos 00:41:54. Já a 28ª edição dos 20 Quilómetros de Almeirim juntou perto de um milhar de atletas na vila ribatejana. O pódio foi de  Nuno Carraça (1:05:50) e Pamella Oliveira (1:18:08).

O drama da interioridade

Nos trilhos de montanha, o 1º Trail do Fluviário de Mora ofereceu distâncias de 30 Km e 15 Km. E foi mais uma prova de que a modalidade ainda tem muito para fazer para lançar destinos do interior do país nos circuitos nacionais. A prova maior, com quase 400 metros de desnível, contou apenas com 20 terminadores, o primeiro dos quais foi Nélson Constantino em 2:19:29. Apenas duas mulheres ousaram participar: sofia Nunes fez 3:33:30 e Isabel Neves correu 4:55:40. O trail de 15km contou com 92 participantes.

Da mesma foram, no Alto Minho, os primeiros Trilhos Encostas do Corno do Bico, em Vascões, Paredes de Coura, tiveram apenas 90 participantes, apesar de percorreram trilhos de extrema beleza da área de paisagem protegida que circunda o Centro de Educação e Interpretação Ambiental local e onde existe um dos maiores carvalhais litorais do país. A corrida de 20 km com 700 metros de desnível positivo foi ganha por José da Costa Correira (1:30:27) e Amândio Antunes (1:32:45) e por Carla pereira (2:13:18) e Flor Madureira (2:14:27).

Lá fora

A marca da semana é seguramente o recorde mundial do km vertical. Aconteceu em Fully, na Suíça,
considerado o mais curto do mundo: tem uma distância de 1920 metros para vencer um desnível positivo de mil metros, com inclinação média acima dos 50%. Considerado também o mais rápido, viu este sábado a marca mínima de 2012 reduzir-se mais ainda, apesar da chuva. Urban Zemmer bateu o seu próprio recorde, descendo dos 00:30:26 para os 00:29:42. Mesma coisa entre as mulheres, com Christel Dewalle a superar-se a si própria em dois minutos, com um tempo final de 00:34:44.

No Oceano Índico, o português Pedro Conde concluiu a travessia diagonal da ilha da Réunion, numa prova mítica do trail mundial: o atelta da Desnível Positivo e da Armada Portuguesa do Trail levou 38:56:59 a percorrer os 172 km da Diagonale des Fous, uma corrida que já vai na 22ª edição e que oferece várias subidas acima dos 2000 metros e um desnível positivo de perto de 10 mil metros. A prova foi ganha por François D’Haene, fisioterapeuta e viticultor francês com 29 anos, que fechou os 172 km em 24.25 horas. A francesa Nathalie Mauclair demorou 31.27 horas, classificando-se como primeira mulher e em 19ª na geral. A dureza da prova é tal que muitos dos favoritos foram abandonando.

Na Galiza, a portuguesa Mónica Silva foi a vencedora feminina dos 12 km da Carrera Pedestre Popular de Santiago de Compostela, que percorreu em 42 minutos e 33 segundos e em que o português Licínio Pimentel conseguiu o segundo lugar masculino, com 00:36:21.

IC

0 comentários

Leave a Reply

Faça login para comentar